Data-Base: Manifestação Praça 19 de Dezembro

Por
Atualizado em: 9 de julho de 2019

A AVM participou de uma passeata, na manhã desta terça-feira (09), da praça 19 de Dezembro até o Palácio Iguaçu, em Curitiba, realizada com o objetivo de cobrar a devida reposição salarial. O ato foi organizado por militares estaduais, pensionistas, professores, agentes penitenciários e familiares dos servidores, que seguem mobilizados há duas semanas, na luta pela reposição salarial.

O associado da AVM, Subtenente Gravina, do Projeto PMPR FORTE, deslocou-se de Ponta Grossa com mais 40 associados, com o objetivo de apoiar a manifestação dos servidores públicos em defesa da data-base. “Nós associados, como servidores públicos, não podemos ficar inertes com a desconsideração do governador ao nosso direito, que é somente a reposição da inflação que há quatro anos não é reposta, portanto, aguardamos uma resposta positiva”, afirmou ele.

Também participaram da mobilização, o presidente da AMEC, Soldado Generoso Fonseca; o vice-presidente, Sargento Dirce; os também diretores, Subtenente Kautk e Subtenente Silas; e demais associados AVM/AMEC.

O anúncio do governador inflou a greve que teve adesão de mais categorias e trabalhadores, fortalecendo o movimento. Os sindicatos e associações organizaram um ato que contou com cerca de 30 mil pessoas, entre servidores e familiares. O funcionalismo público cobra uma nova proposta de, pelo menos, a reposição da inflação dos últimos 12 meses que é de 4,94% e negociação sobre os atrasados.

DISCUSSÃO SOBRE REAJUSTE FICA PARA SEGUNDO SEMESTRE DO ANO

Foi anunciado hoje (09/07) que a discussão em torno do reajuste salarial dos servidores estaduais ficará para o segundo semestre de 2019. Segundo o presidente da ALEP, deputado Ademar Traiano, o pedido para não colocar o projeto em pauta foi da liderança do Governo.

Como a antecipação da reposição teria impacto direto no pagamento do 13º salário deste ano, Governo e servidores irão reanalisar os dados financeiros do Estado ao longo desta semana. Com a retirada da urgência do projeto, a proposta da data-base do Executivo deverá ser votada na Assembleia Legislativa somente na volta do recesso parlamentar, em agosto.

A PROMESSA DE CAMPANHA

O Estado do Paraná deve 17% de reposição ao funcionalismo público. O valor é decorrente do congelamento de salários desde 2016. O governador Ratinho Junior (PSD) foi eleito com a promessa de campanha de pagar a dívida e dialogar com os servidores, mas depois de seis meses na função ele ainda não recebeu os sindicatos para debater a defasagem e anunciou à imprensa, na última semana, uma proposta de apenas 0,5% de reposição para 2019.

× Converse no WhatsApp